5 passos para ajudar a escolher seu curso superior

“Estou terminando o Ensino Médio e preciso decidir o que vou cursar na faculdade, mas não consigo pensar em um curso só… Gosto de Arquitetura, mas também me interesso muito por Design e Engenharia. Não sei como fazer para escolher.”

Essa parece uma situação conhecida? Isso porque é muito normal ter dúvida na hora de decidir algo tão importante para nossa vida. Muitos jovens chegam ao fim do Ensino Médio cheio de perguntas sobre a profissão, o mercado de trabalho ou mesmo se isso é o que eles realmente querem fazer ao longo de sua trajetória. Além disso, também é normal se sentir pressionado neste momento: amigos que já definiram seu curso, família ansiosa para saber o que você decidiu e os próprios questionamentos sobre seu futuro parecem dificultar ainda mais a decisão.

Separamos 5 passos para ajudar você a decidir seu curso superior:

1. Faça uma lista sobre si mesmo

Essa é uma etapa muito importante e que com certeza vai lhe ajudar muito. Entender quais são seus gostos pessoais, seus valores, quais experiências que você viveu e foram positivas, quais as profissões que você já teve contato, com o que você percebe que tem mais habilidade, com o que você sente que gosta de interagir, sua história de vida, quais desafios você gostaria de superar… Por exemplo, se você não se sente confortável ao ver sangue, já pode repensar sobre carreiras como a de Enfermeiro ou Médico, por exemplo. É claro que esse passo, sozinho, não vai levar você a uma decisão, mas ajuda a eliminar carreiras que você não se identifica e encaminhar você a uma decisão mais assertiva. Entender sobre si mesmo, sua personalidade, sobre suas habilidades e gostos leva você a entender quais são suas áreas de interesse.

2. Pesquise sobre as áreas que lhe interessam

Depois de entender melhor sobre si mesmo, você já consegue afunilar melhor as áreas que lhe interessam. Nessa etapa, a intenção ainda não é que você já saiba qual profissão quer seguir, mas sim ajudar você a pesquisar mais. Dentro das áreas que lhe interessam, você deve relacionar seus interesses pessoais com as atividades que são realizadas em profissões dentro das grandes áreas. Por exemplo, se você não se sente confortável ao ver sangue, mas o cuidado interpessoal é um interesse seu, pode se aprofundar a pesquisar outras profissões dentro da área da saúde, como Nutrição, Fisioterapia ou Educação Física, por exemplo.

3. Relacione seus gostos pessoais com as profissões das áreas de interesse

Bom, agora que você já conhece as grandes áreas e listou seus gostos, você precisa reunir o máximo de informações possíveis sobre as profissões dessas áreas. Pesquise na internet, veja vídeos, assista a palestras e, se possível, converse com profissionais dessas áreas. Vá listando tudo que achar interessante saber, tanto de pontos positivos quanto de pontos negativos – isso vai ajudar a saber o que não fazer também. Saber o que faz e como é a rotina de profissões que você tem interesse em seguir ajuda você a escolher o curso. É importante lembrar que uma mesma formação profissional pode levar a carreiras diferentes. Um profissional formado bacharel em Educação Física, por exemplo, pode tanto atuar como instrutor de atividades em academias como personal trainer ou ainda treinar e preparar equipes esportivas, consultorias esportivas, entre outros. Com essas listas organizadas, fica mais fácil você dar match no que há em comum entre seus gostos pessoais e perspectivas e as atuações profissionais que lhe interessam.

4. Analise as perspectivas futuras: suas e das profissões que lhe interessam

Depois de entender as rotinas e atividades de carreiras que você pode vir a seguir, é fundamental que você pense nas suas perspectivas futuras. Qual é o estilo de vida que você quer ter, mais tranquilo ou mais agitado? Em que ambiente você se vê trabalhando, ao ar livre ou em escritórios? Gostaria de interagir com muitas pessoas ou ter uma função mais reservada? Escolher uma profissão faz parte de um grande projeto de vida. Por isso, também é importante saber a média de remuneração da carreira, perspectivas de mercado de trabalho, média de carga horária diária que você terá de se dedicar, se vai ser necessário algum tipo de especialização ou idioma estrangeiro, etc. Isso lhe trará mais segurança na hora de colocar esse planejamento em prática

Deixe Seu Comentário