aculdade FATECH

Regulamento de Estágio

NÚCLEO DE ESTAGIO SUPERVISIONADO
COORDENAÇÃO DO CURSO DE TEOLOGIA

REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO

O Estágio Curricular Supervisionado do Curso de Teologia consiste em atividade obrigatória e deve ser realizada pelos acadêmicos matriculados no Curso, como requisito indispensável à graduação.

TÍTULO I

Da definição do Estágio Curricular Supervisionado e suas finalidades
Art. 1º - Nos termos da Lei 11.788, de 25/10/2008, “Estágio é ato educativo escolar supervisionado, desenvolvido no ambiente de trabalho, que visa à preparação para o trabalho produtivo de educandos que estejam frequentando o ensino regular em instituições de educação superior, de educação profissional, de ensino médio, da educação especial e dos anos finais do ensino fundamental, na modalidade profissional da educação de jovens e adultos”

Art. 2º - É finalidade da atividade de Prática Profissional Supervisionada (Estágio Curricular) a integração do aluno com o mercado de trabalho, propiciando o seu desenvolvimento profissional e acadêmico. O estágio regido por este Regulamento de Estágio, que prima pela ação da prática dividida em três perspectivas: Observar, Participar e Intervir, levando em consideração dimensões distintas que estabelecem uma formação mais integral do teólogo conforme prega a filosofia institucional.

Na prática, encaminha-se o estudante para seguir sua atividade em áreas distintas para uma formação mais completa, ou seja, o estágio não se resume às práticas confessionais, mas também coloca o acadêmico numa ação dentro da área social, comunitária e com instituições públicas parceiras (como atividades na associação de pessoas com necessidades especiais), enfim, a cada módulo referente a uma carga horária correspondente ao estágio, o aluno cumprirá parte das horas em sala de aula, com orientações teóricas referentes à prática e o restante em campo. Ao final de cada processo, os estudantes compõem relatórios correspondentes ao seu campo de atuação e os mesmos (relatórios) são socializados ao final de cada processo com os demais estudantes e a esta atividade (teórica e prática) é atribuída nota de avaliação pelo professor responsável pelo acompanhamento.

Parágrafo Único - São objetivos da disciplina Estagio Supervisionado:

I - O Estágio Supervisionado será desenvolvido com objetivo de o estudante, através do mesmo, venha aprender a prática para que possa exercer sua profissão de teólogo;

II - Por meio do estágio supervisionado o estudante poderá adquirir experiências práticas da realidade cotidiana que o estimulará a refletir sobre seu papel social.

III – O Estágio Supervisionado, é parte integrante do currículo da Faculdade de Teologia e Ciências Humanas (FATECH), é obrigatório e fundamental no sentido de proporcionar troca de experiência que contribuirá para que o estudante defina seu campo de atuação teológica.

TÍTULO II

Da matrícula na Disciplina Estágio Supervisionado

Art. 3º - Todos os estudantes matriculados no Curso de Teologia devem desenvolver as atividades relativas à disciplina Estágio Supervisionado.

§ 1º - Mesmo os estudantes que já exercem atividades profissionais na área, estão sujeitos às determinações do caput desde artigo.

TÍTULO III

Da duração e realização do Estágio Supervisionado

Art. 4º - O Estágio Supervisionado é atividade obrigatória, com duração de 300 (trezentas) horas, que devem ser cumpridas no 4º, 5º e 6º semestre do Curso.

Art. 5º - Atendendo aos objetivos propostos no Projeto Pedagógico do Curso de Teologia as 300 (trezentas) horas do Estágio Supervisionado, devem, ser assim distribuídas:

I – Estágio Supervisionado I – Bacharelado - 100 (cem) horas no decorrer do 4º semestre; Atuando em (instituição eclesiástica, presídio, hospital, instituição de caridade – creche, asilo, orfanato – instituição de educação). O estudante fará uma descrição etnográfica do local, do entorno, vizinhança, procurando levantar o objetivo da instituição, forma de atuação e contribuição social, etc.

II - Estágio Supervisionado II – Bacharelado - 100 (cem) horas no decorrer do 5º semestre; Os estudantes se envolverão com a instituição participando ativamente de suas atividades. Os estudantes deverão apresentar no final do semestre um projeto de ação que deverá ser aplicado no estágio subsequente.

III - Estágio Supervisionado III – Bacharelado - 100 (cem) horas no decorrer do 6º semestre;
Atuando nas mesmas instituições do Estágio Supervisionado II, aplicando o projeto desenvolvido no Estágio Supervisionado II, através de minicursos, palestras, mesas redondas, etc.

Art. 6º - O Estágio Supervisionado pode ser realizado em organizações públicas, privadas ou organizações não governamentais, em áreas vinculadas ou correlatas ao currículo do Curso.

TÍTULO IV

Do início do Estágio Supervisionado

Art. 7º - Os procedimentos e documentos necessários para o Estágio Supervisionado, apresentados de uma só vez ao Núcleo de Estágio Supervisionado ao Estudante, são os seguintes:

I – Projeto de Estágio com o parecer favorável do professor orientador; e pelo representante da organização cedente do estágio, no qual devem constar, detalhadamente as tarefas a serem desenvolvidas pelo estudante na organização, bem como os períodos de início e conclusão, dias e horários de trabalho;

II – Caso o Estágio Supervisionado seja realizado na instituição em que o estudante trabalhe ou realize seu ministério pastoral, o mesmo deverá apresentar declaração de que exerce função na modalidade de ensino em que ocorrerá o estágio.

Parágrafo Único - O Plano de Atividades de que trata o inciso I deste artigo deve obedecer a seguinte estrutura:

¤ Capa
¤ Folha de rosto
¤ Sumário
¤ Introdução
¤ Objetivos (geral e específicos)
¤ Problema
¤ Metodologia
¤ Cronograma
¤ Recursos (Materiais e Humanos)
¤ Bibliografia

CAPA deve conter o seguinte aspecto: 1- Nome da instituição de ensino na margem superior, seguindo-se abaixo o nome do curso (em fonte maior); 2- no centro da pagina deve constar a indicação de que se trata de um projeto e o seu destino; 3- no rodapé da pagina (folha tamanho A4) deve constar o local e abaixo deste, o mês e o ano da confecção do mesmo.

FOLHA DE ROSTO inicia com o nome dos elaboradores do projeto em ordem alfabética crescente e centralizado. No centro repete-se a indicação do título que aparece na capa, seguido abaixo em fonte maior, e em margem utilizando apenas metade da página, a indicação do propósito do projeto, do tipo de atividade e do orientador do mesmo. Fechando esta página, no rodapé, segue-se o mesmo padrão da página anterior.

INTRODUÇÃO deverá constar, uma apresentação geral do que vai ser realizado no período de estágio, ressaltando a importância desta atividade para o futuro profissional, citando que o estágio é uma atividade curricular, portanto obrigatória para o acadêmico.

OBJETIVO GERAL - Procura dar uma visão geral do assunto da pesquisa. O pesquisador deve mostrar a importância do assunto, tendo em vista o conhecimento geral do mesmo e a temática proposta. Na exposição do objetivo geral, o pesquisador não deve se preocupar com a delimitação do tema, que será devidamente especificada quando da discussão do objetivo específico. É importante que o pesquisador utilize, na definição do seu objetivo geral, uma linguagem clara e precisa e perfeitamente adequada àquela que deveria avaliar a viabilidade da execução do trabalho. O objetivo geral é a “espinha dorsal” de qualquer projeto. Seu enunciado inicia-se com um verbo no infinitivo e deve expressar claramente as pretensões do pesquisador com o projeto.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS Intrínseco ao objetivo geral há o objetivo específico, que define o ponto central do trabalho. Isso quer dizer que, dentro de uma ideia geral do trabalho deve ressaltar a ideia especifica a ser desenvolvida. É nessa fase que a amplitude da proposta de trabalho tem a sua delimitação perfeitamente definida ou o enfoque dado a uma problemática geral. É nessa delimitação que vai permitir o avanço da pesquisa na sua devida profundidade, pois as generalizações são fatores que acabam impedindo a execução de trabalhos produtivos. Para alcançar o objetivo geral é necessário que este esteja subdividido em partes que contribuam para a resolução satisfatória de seus problemas intelectuais. Estas partes são chamadas de objetivos específicos. Na redação a ser escrita, os objetivos específicos serão expressos em capítulos, segmentos, etc.

PROBLEMA Todo trabalho tem por objetivo dar respostas a determinados problemas ou tornar claras determinadas colocações. Numa pesquisa o problema sempre se apresenta na forma de uma interrogação. É para responder a essa dúvida que será desenvolvido o trabalho. Essa é a razão de ser o trabalho científico, pois determina o objetivo específico.

METODOLOGIA Trata-se de explicitar aqui se trata de pesquisa empírica, com trabalho de campo ou de laboratório, de pesquisa teórica ou de pesquisa histórica ou se de um trabalho que combinará, e até que ponto as várias formas de pesquisa. Diretamente relacionados com o tipo de pesquisa serão os métodos e técnicas a serem adotados. Nesta etapa, deve-se informar como se encaminhará a pesquisa, a contar a forma como a mesma dar-se-á, informando como será a abordagem (se for o caso – entrevistas, questionários etc.); que tipo de pesquisa será efetuada (como – apenas observação, participação, Ação etc).

CRONOGRAMA A forma como será apresentado o cronograma, deve variar de acordo com as necessidades de informações que exige o projeto (como veremos exemplo abaixo). Devemos entender que o cronograma tem que atender exigências mínimas necessárias para um projeto, como período em que ocorrerá a atividade, local, carga horária de cada atividade, a atividade que está acontecendo em cada período.

RECURSOS Essa redação deve trazer a composição dos recursos que o autor do projeto irá utilizar na execução do mesmo. Esses recursos podem aparecer de forma estratificada (Recursos Humanos, Recursos Tecnológicos, Recursos didáticos Recursos Financeiros etc.), ou colocados numa redação de uma forma geral.

BIBLIOGRAFIA No item bibliografia é necessário citar, seguindo normalização da A.B.N.T (ou qualquer livro de metodologia do trabalho científico atualizado), todos os referenciais bibliográficos que deram suporte para estudos anteriores à ida a campo (para ter um conhecimento prévio da realidade) assim como aquele que serviu de apoio técnico para a confecção do projeto.

TÍTULO V

Das responsabilidades e competências do Núcleo de Estágio Supervisionado

Art. 8 - Compete ao Coordenador do Núcleo de Estágio Supervisionado:

I - Cumprir e fazer cumprir a política de estágios da FATECH;

II – Designar os professores orientadores para acompanhamento dos alunos;

III – Dar ciência do presente Regulamento e da Legislação que rege o Estágio Curricular aos professores orientadores e alunos;

IV – Realizar convênios com instituições públicas, privadas e não governamentais;

V – Manter arquivo atualizado das oportunidades de estágio;

VI – Divulgar as ofertas de estágio junto aos alunos;

VII – Criar condições para que os professores orientadores possam desenvolver suas atividades;

VIII – Convocar, quando necessário, os professores orientadores e os alunos orientandos;

IX – Elaborar normas, procedimentos e propor alterações neste Regulamento, quando necessárias;

X – Enviar à Coordenação Acadêmica e coordenação do curso, semestralmente, relatório sobre o andamento das atividades do Estagio Supervisionado;

XI - Realizar visitas nas empresas para contato, se necessário.

TÍTULO VI

Das responsabilidades e competências do Professor Orientador e do estudante

Art. 9 - Ao Professor Orientador compete:

I – Manter contatos com organizações para encaminhamento de estagiários;

II – Orientar o aluno para o início do Estágio Supervisionado, fazendo conhecer suas normas, documentação e prazos;

III – Assistir aos alunos na escolha e proposta do Projeto de Estágio;

IV – Analisar e aprovar o Projeto de Estágio apresentado pelos alunos;

V – Realizar, sempre que necessário, encontros com cada aluno orientando, para acompanhar o desenvolvimento do Estágio Supervisionado, durante todo o período do desenvolvimento da disciplina, em termos de coerência lógica, metodologia, fundamentação teórica, relevância social e científica, aplicação prática e sua contribuição para o aprendizado do aluno;

VI – Sugerir, se necessário, a aplicação de novos métodos e técnicas para a execução das atividades relacionadas ao Estágio Supervisionado;

VII – Indicar bibliografia para ampliação do conhecimento do aluno em relação à aplicabilidade do seu Projeto de Estágio;

VIII – Verificar, através de relatórios parciais, o andamento das atividades, a assiduidade e o desenvolvimento coerente com as propostas e expectativas, tanto do aluno como da organização cedente e da FATECH;

IX – Esclarecer ao aluno sobre os aspectos a serem avaliados;

X – Enviar ao Núcleo de Estágio, relatório sobre o andamento das atividades do Estágio Supervisionado;

XI – Avaliar o Relatório Final do aluno orientando, emitindo parecer e atribuindo o conceito final conforme o Art. 12 deste Regulamento.

Art. 10 - Ao estudante estagiário compete:

I – Conhecer a Legislação específica do Estágio Curricular e seus objetivos e este Regulamento;

II – Comparecer ao local do estágio nos dias e horários programados;

III – Cumprir todas as atividades determinadas pelo professor orientador, apresentando, além de relatórios e tarefas parciais, o Relatório Final, dentro dos prazos, respeitadas as disposições dos Artigos 5º e 7 deste Regulamento;

IV – Comparecer, às sessões de orientação, participando das atividades de planejamento, acompanhamento e avaliação do Estágio Supervisionado, nos horários determinados pelo professor;

V – Empenhar-se na busca do conhecimento necessário ao bom desempenho do Estágio Supervisionado;

VI – Manter a boa imagem da FATECH junto à instituição cedente, vivenciando a ética profissional, guardando sigilo sobre informações, reservadas ou não, relacionadas à organização cedente;

VII – Apresentar o Relatório Final para a avaliação do professor orientador.

TÍTULO VII

Da Avaliação do Estágio Supervisionado

Art. 11 – O Estágio Supervisionado, em cada uma de suas etapas, descritas no inciso I, do Art. 5º, é avaliada levando-se em conta os seguintes critérios:

I – Coerência e aplicabilidade do Projeto de Estágio;

II – Pontualidade e assiduidade do estudante em seus compromissos, tanto com a organização cedente, como com a FATECH;

III – Coerência e consistência dos Relatórios Parciais de atividades;

IV – Avaliação da organização cedente, através de Relatório firmado por seu representante legal;

V – Relatório Final, apresentado dentro dos critérios da Metodologia Científica.

Parágrafo único - O Relatório Final deve obedecer a seguinte estrutura:

I - INTRODUÇÃO - Descrever o Local de Estágio; o público atendido; os serviços oferecidos; a organização e disposição do espaço físico; a equipe; as funções ou atividades exercidas pelos membros da equipe.

II - ATIVIDADES DESENVOLVIDAS - Descrever sobre as atividades desenvolvidas pelo estagiário; os procedimentos desenvolvidos como prática de estágio; os instrumentos adotados para acompanhamento e avaliação das atividades do estagiário; material bibliográfico colocado à disposição para estudo do estagiário; o tipo e a forma de orientação dada ao estagiário pelo supervisor local.

III - SUPORTE TEÓRICO PARA A SOLUÇÃO DE PROBLEMAS - Discorrer sobre a bibliografia utilizada enquanto estagiário para solucionar problemas identificados durante o estágio, e referenciá-la. Seguindo normas da ABNT.

IV – RESULTADOS - Discorrer sobre os resultados obtidos depois de finalizado o trabalho de ação desenvolvido pelo estagiário ao longo do estágio supervisionado II.

V - CONCLUSÃO - Avaliar se o estágio realizado foi satisfatório; Fazer uma correlação entre o estágio prático e os conhecimentos teóricos adquiridos nas disciplinas relacionadas e no material de referência bibliográfica; Discussão dos resultados.

VI – ANEXOS:

a) Anexar as Avaliações do Supervisor, conforme o modelo disponibilizado pela FATECH;

b) Anexar cópia do termo de compromisso, com assinatura do(a) Coordenador(a) de Estágios.

Art. 12 – Após a avaliação, o acadêmico é considerado Aprovado ou Reprovado nas atividades da disciplina Estágio Supervisionado, devendo obter nota igual ou superior a 7.0.
Parágrafo Único - No caso de reprovação, por qualquer motivo, o acadêmico deve renovar sua matrícula na Disciplina Estágio Supervisionado para o semestre seguinte.

TÍTULO VIII

Da Conclusão do Estágio Supervisionado

Art. 13 – A disciplina Estágio Supervisionado é considerada concluída após o cumprimento de todas as determinações dos Artigos 7 e 11.

Art. 14 – A aprovação no Estágio Supervisionado dá ao estudante 05 (cinco) crédito, anotado em seu histórico escolar do semestre letivo em que a mesma ocorrer.

§ 1º - O Cronograma de Trabalho, com a proposta de data final para entrega dos resultados, deve ser avaliado e aprovado pelo professor orientador.

Art. 15 – A aprovação na disciplina Estágio Supervisionado é indispensável para a conclusão do curso.
Parágrafo único – Está impedido de colar grau e receber o Diploma o acadêmico que não cumprir as normas deste Regulamento, bem como não obtiver a aprovação em todas as etapas da disciplina Estágio Supervisionado.

TÍTULO IX

Das Disposições Transitórias e Gerais

Art. 16 – Os casos omissos são resolvidos, em primeira instância, pelo Núcleo de Estágio de Estágio e Coordenação do Curso, ouvido o respectivo Colegiado.

Art. 17 – Este Regulamento entra em vigor a partir do ano letivo de 2011.
 

Deixe Seu Comentário